05/09/2008

Ano 2000

Quando o ano 2000 se aproximava, veio com ele a ameaça (mais fraca do que se imaginava) do Bug do milênio. Mal sabiam nossos técnicos em informática, que este problema já vinha sendo discutido desde a Roma antiga. Abaixo apresento a prova disso.
Traduzido de um manuscrito romano, do ano 2 A.C.
Caro Cassius,
Você ainda estaria trabalhando no problema do ano zero? Essa mudança de a.c. para a.d. está nos dando muitas dores de cabeça, e o fato é que não nos resta muito tempo. Não faço ideia de como as pessoas conseguirão, daqui por diante, trabalhar e pensar no sentido inverso.
Com relação ao calendário, toda a nossa vida temos trabalhado, alegremente, de cima para baixo, em contagem regressiva, e agora vamos ter que começar a raciocinar de baixo para cima. Você poderia me dizer, com razão, que alguém deveria ter pensado nisso antes, e não ter deixado o abacaxi para a gente resolver de última hora.
Conversei com César ontem à noite. Ele estava fulo de raiva pelo fato de Julius não ter previsto isso, ao organizar o calendário. Ele disse que podia até entender, nessas circunstâncias, o motivo pelo qual Brutus estivesse se tornando cada vez mais desagradável.
Chamamos Consultus para um papo, mas depois de pensar bastante, ele nos disse, simplesmente, que continuar a raciocinar de cima para baixo, usando -A.C. (A.C. com sinal invertido) não iria funcionar; e, como de costume, cobrou uma fortuna pelo tempo de consultoria, apesar de não ter dito nada de útil.
Espero, sinceramente, que não tenhamos que jogar fora toda nossa aparelhagem e recomeçar tudo de novo. Seria um desastre. Se isso acontecer, consigo imaginar o quanto a Macrohard vai de novo ganhar nas nossas costas, como ela sempre faz.
Os agiotas estão todos em polvorosa, e há motivos para isso. Contaram a eles que as taxas de juros iriam se inverter, e que seriam eles, agora, que teriam que pagar para as pessoas que pedem empréstimo. Está claro que isso é apenas um boato maldoso, sem fundamento...
No meu caso particular, confesso que não consigo imaginar, por mais que faça força, a areia da ampulheta fluindo para cima. Ouvimos dizer que há três homens sábios, no Leste, que estão trabalhando sobre o problema, mas provavelmente a solução chegará aqui tarde demais. Muita gente está dizendo que seria prudente, à meia noite da passagem de ano, recolher todos os cavalos à estrebaria, porque se receia que os que estiverem na estrada parem no caminho e comecem a andar para trás, causando imensos danos às carruagens e, pior que isso, pondo vidas em perigo. Outras pessoas dizem, até, que o mundo vai parar de existir, exatamente no momento da transição.
Você pode imaginar em que medida estamos angustiados e preocupados. De qualquer forma, minha equipe e eu continuaremos trabalhando nesse maldito problema do ano 0; se descobrirmos algo, mando imediatamente um pergaminho para você. Me avise, por favor, caso te surja qualquer ideia que possa ajudar.
Teu amigo, Plutonius.

Denunciar Abuso

Compartilhar

no facebook

Comentários